Logo

História

A Escola Técnica Pandiá Calógeras inicia sua história como Escola Profissional da Companhia Siderúrgica Nacional, inaugurada em 19 de Abril de 1944, em Volta Redonda. Surge da necessidade de mão-de-obra qualificada e técnica para montagem e operação da Usina Presidente Vargas, ministrando, inicialmente, em um barracão improvisado no interior da usina, às margens do Rio Brandão, no Bairro Jardim Paraíba, os seguintes cursos: Adaptação aos Trabalhos da Usina, Monotécnicos Rápidos e Pré-Profissionais.

Em 1947, transfere-se para o prédio definitivo na Rua 62 nº 90, no Bairro Sessenta.

Em 1952, passa a ministrar Cursos de Aprendizagem Industrial, em decorrência de acordo com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial, firmado em 1951.

Em 1953, pelo Decreto 37.466, de 10/06/55, muda sua denominação para Escola Industrial Pandiá Calógeras e implanta em 1958, os Cursos Industriais Básicos, ministrados até 1978, com equivalência à segunda fase do 1º Grau, antigo Ginásio Industrial.

A instalação dos Cursos Técnicos Industriais ocorre em 1956, quando passa a denominar-se Escola Técnica Pandiá Calógeras, pelo Decreto 38.776, de 27/02/56.

Em 1985, celebra convênio com a Prefeitura Municipal de Volta Redonda, cabendo a esta ministrar os conteúdos de Educação Geral, em nível de 1º Grau e em 1986, firma acordo com a Secretaria de Estado de Educação do Rio de Janeiro, cabendo a esta ministrar os conteúdos de Educação Geral, em nível de 2º Grau.

A partir de 1989, a Escola Técnica Pandiá Calógeras volta a ministrar, além dos conteúdos profissionalizantes, os de Educação Geral, em razão das rescisões dos citados convênios.

A partir de 26/11/90, passa a ser mantida pela Fundação General Edmundo Macedo Soares e Silva - FUGEMSS, instituída pela Companhia Siderúrgica Nacional - CSN.

Em 1991, com a adoção do TQC - Controle pela Qualidade Total é elaborado e implantado o Projeto Educação para a Qualidade.

Em 1992 a Companhia Siderúrgica Nacional é privatizada dando continuidade ao projeto educacional operacionalizado pela ETPC.

Em 1996 a ETPC é a 1ª Escola da América Latina a obter a certificação pela Norma ISO 9002/94 pela ABS (American Bureau of Shipping).

Em 1998, a mantenedora da ETPC altera sua denominação de Fundação General Edmundo Macedo Soares e Silva - FUGEMSS para Fundação CSN para o Desenvolvimento Social e a Construção da Cidadania.

A partir de 1999, com as mudanças do cenário nacional, com a reestruturação da CSN, com a implantação de outras empresas de grande porte na Região do Médio Paraíba, com as inovações trazidas pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional - LDB e com as perspectivas do mercado nas áreas de Automação e Telecomunicações, redefine-se a necessidade de profissionalização, exigindo da ETPC abertura para o mercado em geral.

Como a preparação para profissões técnicas, de acordo com a nova Lei do Ensino, só poderá ocorrer, no nível médio, após “atendida a formação geral do educando”, que se aprimora como pessoa humana, desenvolve autonomia intelectual e pensamento crítico, bem como compreende os fundamentos científicos e tecnológicos dos processos produtivos, a ETPC, passa a ministrar o Ensino Médio em concomitância com a Educação Profissional Técnica.

Respondendo ao novo desafio, a ETPC além da Educação Profissional Técnica e do Ensino Médio, passa a realizar a Qualificação Profissional em parceria com a Secretaria do Trabalho e o Treinamento e Desenvolvimento para Empresas.

Outra grande mudança deu-se na definição das especialidades dos cursos, onde a ETPC amplia seu foco. Visando a demanda de multi-especialização do pólo industrial metalmecânico e automobilístico, passa a atender além das áreas de Metalurgia, Química, Mecânica, Eletrônica e Eletromecânica, a área de Telecomunicações, cujo cenário nacional aponta a geração de 1,5 milhão de empregos nos próximos 10 anos, em consequência do avanço tecnológico e da privatização do setor.

Para assegurar a educação continuada dos seus alunos aqui formados, em 2001, a ETPC reestrutura seus currículos e muda seu funcionamento, passando a oferecer a Especialização Técnica, garantindo a atualização tecnológica e o aumento da empregabilidade dos seus formandos.

Ainda em 2001, a ETPC implanta o Curso Técnico em Metalmecânica, concebido a partir da necessidade da multi-especialização profissional nas áreas de Metalurgia e Mecânica.

Em 2002 é implantado o Curso Técnico em Meio Ambiente e em 2003 o Curso Técnico em Telemática.

Em 2008 passa a administrar o Centro Integrado de Treinamento em Segurança da CSN. Criado em parceria com a Sumitomo Metals e CSN com capacidade para treinar 10 mil profissionais por ano, de forma a perceber situações de risco típicas do processo industrial.

Em 2009, retoma o curso de Administração com foco no ENEM e vestibular.

EM 2011, retoma o curso de Mecânica.

Mostrando estar em sintonia com as tendências político-econômicas, a Escola Técnica Pandiá Calógeras, em 2012, decidiu implantar o curso de Petróleo e Gás para atender às exigências mercadológicas que se apresentam e contribuir para o desenvolvimento do país.

A ETPC, ao longo de sua história, formou mais de 12 mil profissionais em Educação Profissional Técnica (Ensino Médio alinhado ao técnico), Curso de Aprendizagem Industrial e outros, nas diferentes especialidades:

Química, Eletromecânica; Eletrônica; Informática; Metalurgia; Mecânica; Telecomunicações; Administração; Segurança do Trabalho; Metalmecânica; Meio Ambiente, Telemática, Higiene Dental e Siderurgia.
A ETPC é reconhecida como Centro de Excelência, ministrando ensino de qualidade e garantindo:

Formação integral do profissional, além dos conhecimentos técnicos e das habilidades, o desenvolvimento de competências humanas e gerenciais, de forma que o aluno, ao chegar na empresa, seja profissional competente, com iniciativa, criativo, ético e sobretudo comprometido com os resultados da Empresa e das equipes de trabalho.
Atualização Tecnológica, interagindo com os sistemas de produção e prestação de serviços a fim de acompanhar o desenvolvimento tecnológico e a capacitação de profissionais de acordo com o perfil exigido por esses sistemas.

Educação Profissional / Treinamento e Desenvolvimento que promova a educação continuada dos profissionais.
A ETPC oferece o Ensino Médio em concomitância com a Educação Profissional Técnica. Todos os cursos da ETPC são aprovados pelo Conselho Estadual de Educação e publicados em Diário Oficial.

Logo-fundacao
Escola Técnica Pandiá Calógeras
Rua 62, Nº 90 - Bairro Sessenta
Volta Redonda - RJ - CEP 27260-020
Desenvolvido por
Logo-react1